Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.
Source: 17 Studies

O que seriam as coisas comuns pelas quais passamos se realmente nos preocupássemos em olhá-las?

Esta é a ideia por trás deste projeto. Olhar e questionar as coisas e os sítios a que não prestamos atenção e pensar sobre a sua presença no nosso dia-a-dia e sobre a forma como excluímos tanto da nossa experiência visual do mundo, concentrados em coisas fora do ambiente percebido conscientemente.

17 Studies explora uma ideia de meio imediato, dos espaços que atravessamos no nosso dia a dia e da forma como nos organizamos neles e com eles. Nasce de um desafio feito por Miguel Rodrigues a Lucas Dietrich para explorar, num contexto expositivo físico, as ideias de intertexto e participação ativa presentes no trabalho de Miguel Rodrigues para o projeto Raum.

Explorando os mesmos temas de identificação e navegação no meio do dia-a-dia, propomos, através de uma experiência participativa e interativa, trazer as pessoas para uma disponibilidade de atenção e sensibilidade ao seu meio.

Miguel Rodrigues (Lisboa, 1978)

Atualmente a tirar o Mestrado em Arte Multimédia na Faculdade de Belas Artes da ULisboa, estudou com António Júlio Duarte, Paulo Catrica e Bruno Pelletier Sequeira, entre outros. Desenvolve trabalho como artista plástico, sobretudo, na área da fotografia.

www.miguelrodrigues.net

Lucas Dietrich (Austria, 1978)

Diploma de concertista para contrabaixo no Conservatório de Feldkirch. Estudos no Conservatório Nadia et Lili Boulanger em Paris e de Media Design na Universidade de Ciências Aplicadas, Vorarlberg.

Trabalha como músico, designer gráfico e ilustrador.

www.lucasdietrich.com

Source é, por definição, um ponto ou lugar de origem de onde algo é obtido. Enquanto ideia, é uma palavra que explora a dualidade entre o que recebe e o que emite informação.

O tema surge da urgência em reflectir sobre os recursos das práticas de projecto num contexto contemporâneo, onde cada vez mais existe uma convergência nos meios de criação, dando origem a cruzamentos disciplinares, co-produções e territórios híbridos.

Entre Julho de 2015 e Julho de 2016 o ARQUIVO 237 teve como objectivo transversal apresentar um diálogo teórico-prático entre a exposição, o debate e o fazer, onde o espaço expositivo, por si, adquire a acção de gerar.

+INFO

Evento