Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.
Sobre o estalar da pele

com Ana Mira
baldio | estudos de performance

The undercommons is a space and time which is always here. Our goal – and the “we” is always the right mode of address here – is not to end the troubles but to end the world that created those particular troubles as the ones that must be opposed.

– Jack Halberstam (2015)

Convidamos à participação numa prática do estudo colectiva a partir do capítulo 6. Fantasy in the Hold, do livro: Harney, Stefano and Moten, Fred “The Undercommons: fugitive planning & black study”. Wivenhoe, New York: Minor Compositions, 2013.
PDF disponível online gratuitamente no sítio http://www.minorcompositions.info/wp-content/uploads/2013/04/undercommons-web.pdf (caso não consiga aceder a este link, utilize motor de busca sff)

Esta prática do estudo consiste na leitura colectiva do capítulo referido, na experimentação conceptual speed dating e na reflexão generativa sobre os seguintes conceitos menores: suporte (hold), quebra/quebrado/quebrantamento (broke/broken/brokenness), hapticalidade (hapticality) e fantasia (fantasy). A técnica de conceptual speed dating, transmitida e realizada nesta prática do estudo, tem sido utilizada pelo colectivo canadiano Senselab com o objectivo de activar conceitos menores de textos filosóficos de um modo experimental e relacional. Depois de uma leitura atenta do texto seleccionado, traçamos nele as trajectórias dos conceitos de suporte, quebra, hapticalidade e fantasia, as suas recorrências e constelações. Em sobre o estalar da pele ensaiamos o movimento do pensamento numa performance dos estudos colectiva.

— Ana Mira

Ana Mira

Dedica-se à investigação em dança e filosofia, à performance, ao ensino e à escrita.
Concluiu doutoramento em filosofia/estética na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa (2014). Fez formação em dança contemporânea no C.E.M., Fórum Dança e em cursos independentes na Europa e Estados Unidos, destacando o trabalho de Steve Paxton, Lisa Nelson e Eva Karczag.
O seu trabalho coreográfico foi desenvolvido em colaboração com artistas visuais e de performance e apresentando em teatros e galerias; entre os quais At Once, adaptação de coreografia de Deborah Hay (2010), 3 Estudos para Shihtao (2007), Dueto (2006). Como performer colaborou com Pauline de Groot, Russell Dumas e Rosemary Butcher. Como bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia (2009), Fundação Calouste Gulbenkian (2007) e Gabinete de Relações Culturais e Internacionais/Ministério da Cultura (2002), desenvolveu os seus estudos no Center for Research in Modern European Philosophy/Kingston University (UK), no departamento de Performance Studies/Tisch School of the Arts/New York University, Movement Research e New York Public Library for the Performing Arts (US), Dans Studio Pauline de Groot e Dance Exchange/Russell Dumas (NL/AUS).
Tem leccionado no CEM, Fórum Dança, Evoé – Escola de Actores, Faculdade de Motricidade Humana (PT), Experiencia Danza (ES), Independent Dance (UK). Escreveu The feet understand: o filme ABCDEFG (Sment, 2015) e Corpos escutando, na dança (Relógio d’Água, 2015).

baldio | estudos de performance

Espaço onde se ensaia uma abordagem interdisciplinar (cruzando entre as artes, as ciências sociais e as humanidades), teórico-prática (encarando a arte como forma de criar mundo) e politicamente comprometida (não partindo do princípio da neutralidade da ciência e da arte) a que se dá o nome de Estudos de Performance (Performance Studies) [https://baldiohabitado.wordpress.com/].

+INFO

Evento