Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.
New School: Imagem

ARQUIVO 237 feat. MIGUEL CARDOSO

11 OUT 14 — 19 OUT 14
com:
André Sier
Heliosfera

Cada
TimeMachine

Ricardo Guerreiro
Concerto, improvisação, trio electroacústico

André Sier

André Sier trabalha como artista-programador em s373.net/x. Destaca as séries ‘struct’, ‘747’, ‘corrida espacial’, ‘k.’, ‘uunniivveerrssee’, ‘piantadelmondo’, trabalhos imersivos em espaços abstractos, muitas vezes usando dados site-specific de microfones e câmaras, ou sintetizando experiências com matemáticas generativas e caóticas. Desde 1997, já exibiu e performou código, instalações/objectos em várias galerias, festivais, espaços artísticos de portugal, espanha, usa, itália, alemanha, brasil, eslovénia, polónia, suiça. Ensina regularmente programação criativa desde 2002 e é actualmente professor assistente convidado em artes digitais na universidade de évora desde 2012.

Heliosfera

Heliosfera é um telescópio, um instrumento musical e visual, um espaço virtual interactivo da série piantadelmondo que procura fixar a experiência de habitar a superfície do Sol. A superfície virtual de Heliosfera, em eterna efervescência, é habitada por sólidos abstractos ou palácios matemáticos gerados computacionalmente — as Heliades. Heliosfera é navegável através de gestos efectuados pelas mãos em frente à projecção. Podem-se descobrir e tocar novas configurações harmónicas sonoras e visuais da estrela solar.

http://andre-sier.com/

CADA

CADA é um grupo artístico baseado em Lisboa que desenvolve software móvel. Os seus sistemas computacionais são lúdicos e lentos, e exploram o carácter variável dos seres humanos e as características da experiência huamana na vida quotidiana. Os seus interfaces visuais podem ser lidos e interpretados, deixando espaço para a imaginação e as ambiguidades do real.
CADA formou-se em Lisboa em 2007 por Sofia Oliveira e Jared Hawkey.

TimeMachine

TimeMachine é uma aplicação Android que pretende captar a elasticidade do tempo experienciado na vida quotidiana, e traduzi-la numa imagem legível.
É uma peça de freeware que pergunta “Porque parecem alguns dias mais longos que outros?”
TimeMachine sugere que as alterações na dimensão temporal de cada dia, a percepção da sua expansão ou contração, dependem das relações entre eventos, das diferenças dos padrões individuais de tempo.
TimeMachine opera uma tradução em tempo-real de padrões individuais de tempo num interface visual que explora a cor como uma qualidade que pode ser lida e interpretada.
TimeMachine é um projecto CADA desenvolvido em colaboração com Centro de Informática e Tecnologias de Informação (CITI), Universidade Nova de Lisboa, Portugal.

http://www.cada1.net/

Ricardo Guerreiro

Ricardo Guerreiro (Lisboa, 1975) é um compositor cujo trabalho se desenvolve predominantemente nos domínios da música por computador, a partir do seu interesse pela descrição algorítmica do fenómeno sonoro e da estruturação musical. Ao longo dos últimos anos tem vindo a colaborar com diferentes músicos na criação de situações performativas de contexto diversificado.

Concerto, improvisação, trio electroacústico

“Ter ouvidos onde o silêncio se faz voz e ter uns olhos onde o Invisível se veste de aparências.”
(Teixeira de Pascoaes)

Ricardo Guerreiro (música por computador) apresenta-nos a percepção acusmática como elemento meramente contingente em situações de performação de música electroacústica em que o invisível se dá a ver. Com a colaboração de Louis Laurain (trompete) e Pierre Borel (saxofone).

http://ricardoguerreiro.net/

Miguel Cardoso

Miguel Cardoso, nascido em 1978, é um artista computacional, professor assistente convidado na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e investigador de Informática Musical e Composição. Formou-se em Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes do Porto (2004) e é doutorando na Escola das Artes da Universidade Católica do Porto. Conhecido pela sua colaboração com Bestiario (Barcelona) os seus interesses de investigação cruzam várias áreas desde o design às ciências e matemáticas (teoria de grafos, complexidade, física). Tem desenvolvido inúmeros projectos de visualização de informação e participado activamente em workshops relacionados com a criação digital.

http://www.344server.org/

New School

A divulgação massiva da informação e a possibilidade do seu acesso em grande escala têm vindo a alterar alguns dos eixos referenciais dos percursos de aprendizagem, bem como, algumas das conceções do que é a “escola” ou do que são as tradicionais formas de ensino. Houve paradigmas que foram alterados e embora as instituições de ensino ainda funcionem como cerne validador dos percurso académico, nos dias de hoje, assistimos ao aparecimento de novos espaços de influência/referência. Da multiplicação, abrangência e consequência destes espaços surge a necessidade do tema “New School”, enquanto lugar de exploração da(s) “nova(s) escola(s)” a partir das abordagens emergentes do seu aparecimento.
Entre Setembro e Dezembro o Arquivo 237 vai explorar a “New School” tendo como ponto de partida três perspectivas: objecto, imagem e espaço.